Faculdade Patos de Minas - FPM

Copasa inaugura estruturas para armazenamento de água da chuva em escolas de Patos de Minas e Guimarânia

Obras estão avaliadas em R$ 50 mil e têm como objetivo o estímulo à sustentabilidade

por Weslley Raphael
22/06/2022 - 09h59

Copasa inaugura estruturas para armazenamento de água da chuva em escolas de Patos de Minas e Guimarânia

Com o propósito de incentivar o consumo consciente de água e contribuir para a preservação dos recursos hídricos, a Copasa inaugurou nesta terça-feira (21) duas estruturas para armazenamento de água da chuva nas escolas estaduais Cônego Getúlio, em Patos de Minas, e Irmãos Guimarães, em Guimarânia. As obras tiveram início em março deste ano e cada uma está avaliada em R$ 25 mil.

As instalações foram realizadas por meio de ações desenvolvidas pelo Chuá Socioambiental, uma iniciativa da Copasa que visa educar e preservar. É parte do Pró-Mananciais, um programa de proteção e recuperação de nascentes da companhia. Diversas atividades de educação ambiental foram desenvolvidas nas instituições de ensino, culminando no recebimento do Selo Chuá Escola Amiga do Meio Ambiente e na construção das unidades de coleta e armazenamento de água de chuva, também chamadas de cisternas de captação.  

Cada uma das estruturas comporta até 15 mil litros de água pluvial, que poderá ser usada em projetos pedagógicos, como horticultura, jardinagem e educação sanitária e ambiental. Também servem de estímulo à reflexão sobre o ciclo da água, a bacia hidrográfica, saúde e saneamento, que configuram a temática do Chuá para dialogar sobre água de qualidade para os seus mais diversos usos.

Segundo Tereza Bernardes, analista socioambiental da Copasa, se bem dimensionado o uso, a água coletada pode durar muito tempo. "Adotando uma medida de 100 litros por dia, por exemplo, a água armazenada no reservatório pode durar até cinco meses", disse. 

Já o integrante da equipe socioambiental Fauster Bernardes explicou os benefícios das cisternas. "Elas são abastecidas no período chuvoso, no qual a higienização de áreas externas e cuidados com os jardins são menos frequentes, e podem ser aproveitadas em épocas com menor índice de chuvas, ou seja, um consumo consciente", contou destacando que as cisternas contribuem para uma economia anual de até 30% de água.

Para extrair o máximo benefício dessas cisternas, a empresa também direcionou às instituições de ensino recomendações de consumo diário, dicas de higienização, formas corretas de vedar os recipientes, a fim de evitar a proliferação de mosquitos da dengue, entre outras questões.

 

A indicação das escolas foi feita pelos Coletivos Locais de Meio Ambiente (Colmeias) de cada município - grupos formados com o objetivo de executar as ações do Pró-Mananciais e que contam com a participação de prefeituras e câmaras municipais, instituições de ensino, sindicatos rurais, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater–MG), Instituto Estadual de Florestas (IEF), Polícia Militar de Meio Ambiente, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, dentre muitos outros.   

Programa Chuá

 

O Programa Chuá de Educação Sanitária e Ambiental foi desenvolvido há mais de 30 anos pela Copasa, a fim de levar os estudantes para conhecer as Estações de Tratamento de Água (ETA) e de Esgoto (ETE) dos municípios, para evidenciar a importância do saneamento básico.

Mais tarde, abriu as portas também para a população em geral, visando a sensibilização e conscientização das comunidades pertencentes às microbacias dos municípios que o integram, levando informações e conhecimento sobre a relação entre a saúde, o saneamento e o meio ambiente.

Pró-Mananciais

Atualmente o Programa Chuá está atrelado ao Pró-Mananciais, que foi criado em 2017 para proteger e recuperar as microbacias hidrográficas e as áreas de recarga dos aquíferos utilizados na captação de água para tratamento e distribuição ao público. Atuando na mobilização da comunidade e de instituições parceiras, com o objetivo de construir coletivamente o sentimento de pertencimento da população à microbacia da região onde está inserida, a iniciativa conta com aprovação da Agência Reguladora dos Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário de Minas Gerais (Arsae-MG) e está presente em 275 municípios em que a companhia detém a concessão dos serviços.

Agenda ESG

A atuação socioambiental da Copasa é pautada na Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) e em seus respectivos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), além dos dez princípios do Pacto Global.

Os programas Chuá e Pró-Mananciais integram a Agenda ESG da Copasa, sigla que se refere às questões ambientais, sociais e de governança corporativa. Esse termo tornou-se uma forma de se referir ao que empresas e entidades estão fazendo para serem socialmente responsáveis, ambientalmente sustentáveis e administradas de forma correta.

O Chuá Socioambiental está alinhado ao ODS 6 – Água e Saneamento, que tem entre suas metas assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento. Já o Pró-Mananciais integra os ODS 6, 13 e 15, na promoção da proteção, da preservação e da recuperação de microbacias hidrográficas e de áreas de recarga dos aquíferos utilizados pela Copasa para o abastecimento público, bem como a diminuição das emissões de gases de efeito estufa.

Receba notícias diariamente através do WConfira hatsApp (CLIQUE AQUI). Para ler mais notícias do Patos em Destaque, clique em NOTÍCIAS. Siga também o Patos em Destaque no TwitterInstagram e Facebook. Envie informações à redação do portal por e-mail: [email protected].

*Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pelo site é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(os) o(s) autor(es) e o portal Patos em Destaque.

Fonte: : Copasa

OUTRAS NOTÍCIAS