Faculdade Patos de Minas - FPM

Copasa amplia serviços de esgoto de Patos de Minas

Mesmo tratando o esgoto desde 2013, a Copasa só cobrava da população o valor correspondente à coleta e à manutenção do sistema de esgotamento sanitário

por Weslley Raphael
07/04/2021 - 13h42

Copasa amplia serviços de esgoto de Patos de Minas Ampliação de esgoto em Patos de Minas - Foto: Copasa/Divulgação

A Copasa está executando, "a todo vapor", as intervenções iniciadas em setembro de 2020, para concluir, até o final de 2021, as obras de ampliação do sistema de esgotamento sanitário de Patos de Minas e para garantir o tratamento de 100% do esgoto coletado na cidade.

A Companhia está investindo cerca de R$11 milhões nas obras de implantação de mais de 18 mil metros de redes coletoras e interceptoras de esgoto, na construção de oito estações elevatórias nas proximidades dos bairros Alto Limoeiro, Campos Elíseos, Gramado, Distrito Industrial II e III, Jardim Europa e Santa Helena e na interligação de novas ligações prediais, melhorias necessárias para proporcionar ainda mais qualidade de vida à população patense.

De acordo com o gerente da Unidade de Serviço de Expansão Oeste (USEO), Edilson Alves, dessas intervenções previstas no projeto, até o momento, já foram implantados quase 10 mil metros de redes coletoras, interceptoras e linha de recalque em diferentes regiões, além do início das obras das estações elevatórias nos bairros Campos Elíseos, Coração Eucarístico e Santa Helena, entre outras intervenções no sistema de esgotamento sanitário da Capital do Milho. "Para agilizar e cumprir o prazo pactuado, estamos com diversas frentes de trabalho em diferentes pontos do perímetro urbano", comentou Edilson.

Além da ampliação, a Copasa também vai investir mais R$400 mil na automação do sistema de esgoto por meio da instalação de programas especiais nas máquinas e nos computadores; sensores e equipamentos eletrônicos, que vão agilizar os processos de manutenção no sistema, evitando, dessa maneira, transtornos como o extravasamento de esgoto nas estações elevatórias, causado pelo entupimento das bombas em razão do uso inadequado das redes coletoras.

Ainda em 2021, segundo a superintendente da Unidade de Negócio Oeste da Copasa, Cristiane Carneiro, também serão licitadas as obras do sistema de esgotamento sanitário dos distritos de Areado, Bom Sucesso, Major Porto, Pilar, Pindaíbas e Santana de Patos, cujos investimentos, da ordem de R$14 milhões, irão beneficiar mais de 3.500 pessoas.

 Copasa em Patos de Minas

A Copasa opera o sistema de abastecimento de água de Patos de Minas desde 1973 e, em 2009, iniciou a operação do serviço de esgotamento sanitário. Com investimentos de mais de R$183 milhões, a Companhia construiu uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), que, com capacidade para tratar até 23 milhões de litros de esgoto diariamente, opera com eficiência e em total conformidade com todas as legislações ambientais vigentes. Além disso, a Empresa construiu oito estações elevatórias e implantou quase 650 km de redes coletoras para receber os resíduos de aproximadamente 60 mil ligações das cerca de 135 mil pessoas.

Em 2013, a Companhia já era capaz de tratar 30% do esgoto gerado na cidade. Em 2018, passou para 80% e, desde 2019, trata adequadamente 90% dos resíduos coletados. A previsão é de que, em 2022, 100% do esgoto coletado seja tratado. "Para atingir esse percentual, a Copasa está investindo mais R$11 milhões em obras de ampliação e de melhorias do sistema de esgotamento sanitário da cidade", completou Cristiane Carneiro.

Cobrança

Mesmo tratando o esgoto desde 2013, a Copasa só cobrava da população o valor correspondente à coleta e à manutenção do sistema de esgotamento sanitário.

Apenas em janeiro de 2021, os patenses começaram a pagar pelo tratamento, de acordo com o I Termo Aditivo ao Contrato de Programa, celebrado entre a Prefeitura e a Copasa em 2019, definindo que somente em janeiro de 2021 a Companhia iniciaria a cobrança pelo tratamento, um valor correspondente a 33% sobre a conta de água, conforme definido pela Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG).

Somente pagarão o valor correspondente ao percentual de tratamento de esgoto os imóveis que estiverem conectados ao sistema, com direcionamento à ETE. Aqueles que não se enquadrarem nessa situação continuarão pagando somente o percentual pela coleta do esgoto.

 Benefícios

O tratamento de esgoto proporciona benefícios sociais, econômicos e melhoria das condições de saúde da população da cidade. Entre outras vantagens, o sistema de esgotamento sanitário habilita o município a receber o ICMS Ecológico, como forma de incentivo para criação de mais áreas de preservação ambiental ou para melhoria das condições dos atuais espaços existentes, o que, consequentemente, proporcionará mais qualidade de vida e de saúde para a população local

 Além disso, a destinação adequada do esgoto evita a propagação de doenças de veiculação hídrica; melhoria do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e proporciona mudanças positivas nos aspectos urbanísticos, com a consequentemente valorização imobiliária e o crescimento socioeconômico da cidade e da região.

Receba notícias diariamente através do WhatsApp (CLIQUE AQUI). Para ler mais notícias do Patos em Destaque, clique em NOTÍCIAS. Siga também o Patos em Destaque no TwitterInstagram e Facebook. Envie informações à redação do portal por WhatsApp pelo telefone (34) 98873-4068.

 

Fonte: : Ascom Copasa

OUTRAS NOTÍCIAS